3 de out de 2008

Web 2.0 - Repensar, Ressignificar

Olá Amigos

A definição de Web 2.0 é "a rede no tempo de uma Sociedade da Autoria, onde cada internauta se torna (co)autor ou (co)produtor e compartilha - com os demais indivíduos imersos numa cibercultura – a sua produção. Assim, os internautas deixam de ser apenas leitores isolados ou tão somente coletores de informações; agora passam a colaborar na criação de grandes repositórios de informações".

Educar em tempos da convergência de mídia e da Web 2.0: ampliam-se os desafios aos professores. Os aplicativos e recursos que compõem o que se está chamando Web 2.0 deverão ter um impacto importante na escola que utiliza recursos da tecnologia digital. A escola, com estratégias para ensino e aprendizagem, estará onde estiver um computador com acesso à Internet. É o mesmo movimento que caracteriza o chamado escritório “on-line”.

Os potenciais impactos dos recursos da Web 2.0 não estarão limitados à educação on-line, na sala de aula virtual ou sala de bits. Eles poderão – ou deverão – estar também na educação chamada de presencial, na sala de aula de tijolos. Esses aplicativos quase certamente influenciarão profundamente com os ambientes de ensino presenciais – ou fechados, como alguns preferem denominar. Muitos deles já estão influenciando a vida dos alunos, fora da escola.

Muitos já estão sendo trazidos para dentro da escola recursos. É o caso de blogs, rss, escrita colaborativa, enciclopédias on-line e outros. Haveria uma forte tendência por ambientes colaborativos de aprendizagem, com a formação e incremento de redes, que de certa forma descentralizam os processos de ensino e aprendizagem, avançando sobre os muros da escola, ultrapassando-os, e criando uma nova dimensão para os tempos escolares. Conseqüentemente, os conteúdos a serem tratados, as possibilidades de interação, questões como a da autoria, individual e coletiva, a distinção público/privado deverão estar sendo (re)pensados pelos educadores.

Capacidade de análise crítica, a ética, os valores individuais e coletivos, a moral serão alguns dos elementos obrigatórios nesse “coquetel” que vai além das tecnologias do ciberespaço. Esse (re)pensar se articula a uma necessária ressignificação do que seria ensinar e aprender numa escola do século XXI

E existem ainda recursos que serão importantes na gestão na escola e no trabalho integrado de professores, que devem abandonar a solidão que tem sido uma marca forte de sua profissão.
Essa é uma visão perturbadora de como uma nova revolução da informática está redefinindo os negócios, a sociedade e a cultura.

A intransigência em relação a tudo quanto é novo é um dos piores defeitos do homem. E, inversamente, perceber a realidade pelos meios não convencionais é o que mais intensamente deveria ser buscado [nas escolas]. Porque isso é capacidade de invenção em estado puro: cultivar o devaneio, anotar seus sonhos, escrever poesias, criar imageticamente o roteiro de um filme que ainda vai ser filmado.

Abraços

Equipe NTE Itaperuna

Um comentário:

Tati Martins disse...

Olá, Robson!
Gostei muito da explicação exposta aqui sobre Web 2.0. Tomei a liberdade de citá-lo em meu blog. Espero que não se importe.
Beijinho,
Tatiane