15 de abr de 2009

Os cinco erros mais comuns no uso de blogs em educação

Uma das ferramentas mais poderosas para estabelecer comunicação entre alunos e professores são os blogs, que em algumas situações podem até mesmo servir como plataforma para educação e oferecer oportunidades, para que professores ou tutores a distância, possam até mesmo ensinar usando essa incrível ferramenta. Mas, como qualquer novidade tecnologia a falta de experiência e critérios bem definidos, acaba fazendo com que os professores fujam dos blogs como meio para ensinar. Isso é perfeitamente normal, mas não precisa ser uma regra, afinal as novas tecnologias da informação só agregam novas possibilidades e opções para alunos e professores.

Se você está pensando em usar esse tipo de iniciativa na sua instituição de ensino, um artigo muito interessante, publicado na Campus Technology, lista os cinco erros mais comuns no uso de blogs para educação. O conhecimento desse tipo de artigo é fundamental, para que se a sua instituição decida investir em blogs, você já tenha conhecimento do que deve ser evitado.

Models of Blogs: Blog as Participant in Conversation (3 of 3)

A lista parece óbvia, mas as dicas são importantes. O artigo é bem extenso, por isso fiz um breve resumo do conteúdo:

  • Falta de contextualização: A contextualização aqui passa pela justificativa do uso dos blogs. Qual o motivo que faz dos blogs a melhor ferramenta para ensinar, aquele determinado assunto? Os textos e indicações oferecidos no blog devem ser contextualizados também, com a realidade do aluno. Isso é muito mais fácil de fazer com blogs, em que o professor autor dos artigos.
  • Falta de objetivos educacionais: O uso dos blogs deve ter um objetivo bem definido, como o desenvolvimento da capacidade de análise ou leitura dos alunos. Claro que assimilar um determinado conteúdo, deve ser o principal, mas e o blog? Qual o objetivo dele? O segundo erro envolve o desconhecimento desses objetivos, por parte dos alunos e professores.
  • Uso ineficiente da ferramenta: Um blog é uma publicação individual, por isso ela deve refletir a opinião do professor e não o da instituição. Algumas iniciativas de blogs educacionais acabam se transformando em portais de comunicação da instituição, com textos jornalísticos.
  • Usar critérios de avaliação adequados: Seus alunos sabem quais são os critérios de avaliação, para a participação nos blogs?
  • Oferecer um bom tempo de resposta aos alunos: Qual o tempo que você disponibiliza para que seus alunos possam interagir com os artigos? Os alunos conhecem esse tempo?

O uso desse tipo de ferramenta ainda é muito recente, mas com o crescente número de pessoas que usam esse tipo de ferramenta, os blogs se tornam cada vez mais comuns até mesmo para educação.

Fonte: http://www.colaborativo.org/blog/2008/10/06/os-cinco-erros-mais-comuns-no-uso-de-blogs-em-educacao/

Um comentário:

webdigitaleducator disse...

Robson, interessante o texto.

Penso que o termo blog na educação deve ser discutido, pois ele pode ser dividido em várias categorias.

Por exemplo, podem haver blogs na educação para a comunicação entre alunos e professores, assim com blogs na educação para divulgação de assuntos educacionais. Neste último caso, a dica não se aplica integralmente.

Mas se for o primeiro caso, estas dicas são realmente importantes. Um abraço