3 de jan de 2009

Projeto Cinema no Caldeirão - 03/01

Olá Amigos

O filme de hoje indicado para o projeto Cinema no Caldeirão é "Munique" de Steven Spielberg. O filme foi escolhido por causa dos conflitos entre israelenses e palestinos, que continuam a se matar numa guerra intolerante e sem sentido (palavras de minha filha).

Uma das imagens mais significativas do século vinte é um homem com a cabeça coberta por uma meia, na sacada do apartamento da delegação israelense nas olimpíadas de Munique em 1972. Ele era um dos membros do grupo Setembro Negro que, com a ação de seqüestrar os atletas judeus em solo alemão, pretendia chamar a atenção do mundo para a causa palestina. Pela libertação dos reféns, pediam em troca que Israel libertasse palestinos presos, mas o governo de Golda Meier não aceitava negociação.

A impassibilidade de ambas as partes somou-se à inépcia total da polícia alemã e a tragédia estava montada: todos os onze reféns foram mortos, a maioria na desastrosa ação de resgate no aeroporto. Todos os seqüestradores também morreram, com exceção de três deles, presos e depois libertados pelos alemães em troca de reféns que outro grupo palestino havia feito, semanas mais tarde.

“Munique” fala sobre a reação de Israel ao assassinato de toda a delegação olímpica daquele país por terroristas palestinos em 1972, durante os jogos de Munique. Existem dúvidas sobre a veracidade da história. Teriam os israelenses realmente montado um comando secreto para caçar as lideranças palestinas, identificadas como terroristas? Um ex-agente do Mossad, o serviço de inteligência israelense, escreveu um livro dizendo que sim. E é essa história que nos conta Steven Spielberg.

O filme mostra o inicio da politica israelense do "olho por olho, dente por dente", onde para cada israelense morto um palestino deve morrer. O filme serve para mostrar aos alunos entre outras coisas como a intolerância e sua degeneração maior, o ódio religioso pode levar a humanidade. Mostrar aos alunos em como reverter isso através de ações como aceitar e respeitar o próximo apesar de sua cor, raça, credo ou opção sexual podem fazer do mundo um lugar melhor de se viver. O objetivo é mostrar que a paz é o melhor remédio, sempre a favor da vida, da paz e da igualdade entre os povos!!!

Em entrevista à revista Time, o diretor fala a respeito: "Para mim, esse filme é um pedido de paz. Em algum lugar, no meio de toda essa intolerância, há que haver um pedido de paz. Porque o maior inimigo não são os palestinos ou os israelenses. O maior inimigo na região é a intransigência”.

Isso não fica exposto claramente no filme. É preciso pensar para captar alguma coisa, e essa é a maior qualidade que Munique tem.

O filme merece ser usado na sala de aula em todos os segmentos. O Caldeirão de Idéias recomenta.

Abraços

Equipe NTE Itaperuna

Nenhum comentário: