29 de nov de 2008

Os Miseráveis

França, 1815. Jean Valjean, egresso da prisão de Toulon traz um passaporte que denuncia sua condição. Não encontra abrigo, mesmo tendo dinheiro para pagar por este. Um padre o acolhe, alimenta-o, oferece-lhe um lugar para dormir, interessa-se em ajudá-lo.

Durante a noite Valjean rouba-lhe os talheres de prata e ao ser surpreendido, ataca o seu benfeitor, deixando-o desacordado. Foge, mas é surpreendido pela polícia que o leva até o padre para confirmar que os talheres que carrega são fruto de um roubo. A vítima o inocenta e lhe entrega os castiçais de prata que havia na casa. Diz-lhe que a partir daquele instante sua alma pertenceria a Deus. Valjean volta à estrada, e em determinado momento constata-se um miserável.

Se miserável pela condição econômica, mais ainda pela miséria moral a que se submeteu. E é esta constatação que o leva à mudança de atitudes e conseqüentemente, à mudança de vida.

Este é a primeira parte do filme “Os Miseráveis”, dirigido por Bille August, exibido nos cinemas em 1998. O filme conta a história de Jean Valjean, preso por furtar um pão, condenado e liberto, que esconde sua condição e consegue tornar-se um homem de bens, e que passa a ser considerado de acordo com esta situação. É justo e bondoso com os que estão ao seu redor, protege as mulheres e exige bom comportamento daquelas que trabalham para si. Acolhe Fantine, mãe solteira, empobrecida e prostituída, e posteriormente cuida de sua filha, pois lhe faz essa promessa em seu leito de morte. Reconhecido por Javert, ex-inspetor da prisão em que estivera, passa a ser perseguido incansavelmente pelo mesmo, enquanto procura proteger e cuidar de Cosette, assegurando-lhe um destino melhor do que aquele que tiveram os que amara anteriormente.

Pobreza e seus efeitos colaterais. As misérias humanas vistas como conseqüências da situação de pobreza em que se encontram. A solidariedade, a justiça, a superação, a redenção humana. Foram estes os aspectos do filme – baseado na obra literária, um clássico francês de Victor Hugo - que me levaram a cogitar sobre suas qualidades pedagógicas: uma possível identidade da turma de classe popular com as personagens centrais dessa história poderia motivá-los para a discussão sobre os temas e criar um ambiente favorável aos estudos, à superação de suas dificuldades - assim como o fez Jean Valjean.

O filme permite discutir as ações pessoais e aquelas inseridas num contexto social: o ato do vigário – incrédulo, para a maioria de nós – de oferecer os castiçais em vez de confirmar uma acusação; a prostituição da desolada Fantine, com o intuito de mandar dinheiro para o sustento da filha; a inflexibilidade do policial Javert, frente àquilo que acreditava; o amor compromissado que Valjean nutria por Cosette, a auto-acusação de Valjean, para inocentar um pobre coitado... em meio a outras tantas questões que se apresentam no filme.

O filme, diferentemente do livro, não mostra o destino final de Valjean, perdoando Cosette pelo abandono em que esta o deixara, em função das acusações de Mário, marido dela. O final do filme mostra um Jean Valjean aliviado, livre das perseguições de Javert. Este, ao ver-se salvo por Jean Valjean, não consegue prendê-lo, e por não se permitir infringir a lei, prefere suicidar-se.

Impactante.

O Filme

Após cumprir 19 anos de prisão com trabalhos forçados por ter roubado comida, Jean Valjean (Liam Neeson) é acolhido por um gentil bispo (Peter Vaughan), que lhe dá comida e abrigo. Mas havia tanto rancor na sua alma que no meio da noite ele rouba a prataria e agride seu benfeitor, mas quando Valjean é preso pela polícia com toda aquela prata ele é levado até o bispo, que confirma a história de lhe ter dado a prataria e ainda pergunta por qual motivo ele esqueceu os castiçais, que devem valer pelo menos dois mil francos. Este gesto extremamente nobre do religioso devolve a fé que aquele homem amargurado tinha perdido. Após nove anos ele se torna prefeito e principal empresário em uma pequena cidade, mas sua paz acaba quando Javert (Geoffrey Rush), um guarda da prisão que segue a lei inflexivelmente, tem praticamente certeza de que o prefeito é o ex-prisioneiro que nunca se apresentou para cumprir as exigências do livramento condicional. A penalidade para esta falta é prisão perpétua, mas ele não consegue provar que o prefeito e Jean Valjean são a mesma pessoa. Neste meio tempo uma das empregadas de Valjean (que tem uma filha que é cuidada por terceiros) é despedida, se vê obrigada a se prostituir e é presa. Seu ex-patrão descobre o que acontecera, usa sua autoridade para libertá-la e a acolhe em sua casa, pois ela está muito doente. Sentindo que ela pode morrer ele promete cuidar da filha, mas antes de pegar a criança sente-se obrigado a revelar sua identidade para evitar que um prisioneiro, que acreditavam ser ele, não fosse preso no seu lugar. Deste momento em diante Javert volta a perseguí-lo, a mãe da menina morre mas sua filha é resgatada por Valjean, que foge com a menina enquanto é perseguido através dos anos pelo implacável Javert.

Aos Professores

Conteúdos trabalhados na turma da EJA, 5º ano de escolaridade.

Onde viveu Jean Valjean?
- Localização: orientação espacial, planisfério, sistema de coordenadas, escala, proporções territoriais.

Em que tempo viveu Jean Valjean? Quando aconteceu esta história?
- Estudo comparativo do período histórico: sistema de trabalho na França e no Brasil. Foco na escravidão.
-Produção de linha do tempo do período entre 1808 a 1889 com fatos históricos do Brasil. (Período em que se insere “Os Miseráveis”).

Como eram as personagens? O que aconteceu com as personagens? O que você achou da (história, atitude dos personagens, etc.) e por quê?
- Observação e análise de imagens (do filme e ilustrações de livros, originais buscados na web).
- Estudo de adjetivos e verbos.
- Produção de texto argumentativo.

Por que Fantine ficou doente?
-Alimentação e saúde.
- Meio ambiente e saúde.
- Condições emocionais e saúde.
- Saúde da mulher.

Pobreza, desemprego e violência, coisas somente do tempo de “Os Miseráveis”?

- Leitura de gráficos de jornais sobre números de desemprego, emprego e violência.
- Cálculos com estes números.

Quem escreveu essa história?

- Estímulo à leitura: apresentação da biografia do autor e da história através de empréstimo do livro. (Na turma em questão foi apresentado em edição popular).
- Análise e interpretação, estudo do vocabulário de partes do texto.

Conteúdos trabalhados de forma interdisciplinar, ao longo de um bimestre em 2007.

Ficha Técnica

Os Miseráveis

Título Original: Les Misérables
País/Ano de produção: EUA, 1998
Duração/Gênero: 131 min., Drama/Romance
Direção: de Billie August
Roteiro: de Rafael Yglesias, Baseado Em Livro De Victor Hugo
Elenco: Liam Neeson (Valjean), Geoffrey Rush (Javert), Uma Thurman (Fantine), Claire Danes (Cosette), Hans Matheson (Marius), Reine Brynolfsson (Capitão Beauvais), Peter Vaughan (Bispo), Christopher Adamson (Bertin), Tim Barlow (Lafitte), Timothy Bateson (Banqueiro),Veronika Bendová (Azelma)

Links
http://www.filmesdecinema.com.br/filme_os_miseraveis_3331.html
http://www.interfilmes.com/filme_13919_Os.Miseraveis-(Les.Miserables).html
http://www.spe.sony.com/movies/lesm iserables


Videos-Relacionados

Nenhum comentário: