8 de ago de 2008

Soneto de aniversário


Vinícius de Moraes

Passem-se dias, horas, meses, anos
Amadureçam as ilusões da vida
Prossiga ela sempre dividida
Entre compensações e desenganos.

Faça-se a carne mais envilecida
Diminuam os bens, cresçam os danos
Vença o ideal de andar caminhos planos
Melhor que levar tudo de vencida.

Queira-se antes ventura que aventura
À medida que a têmpora embranquece
E fica tenra a fibra que era dura.

E eu te direi: amiga minha, esquece...
Que grande é este amor meu de criatura
Que vê envelhecer e não envelhece.

(Rio, 1942)

Texto extraído da antologia "Vinicius de Moraes - Poesia completa e prosa", Editora Nova Aguilar - Rio de Janeiro, 1998, pág. 451.

Conheça a vida e a obra do autor em "Biografias".

Um comentário:

Uso Pedagógico de Midias disse...

Robson,
Passem-se dias, horas, meses, anos
Amadureçam as ilusões da vida
Prossiga ela sempre dividida
Entre compensações e desenganos.
E nos vamos caminhando cada dia ...
Quando sabemos agradecer esse presente que Deus nos deu que é a vida, não vamos envelhecer nunca, passa tudo e estamos sempre de bem com a vida, como você, pelo pouco que te conheço.
Parabéns pelo seu aniversário e que esse dia se repita por dezenas de vezes na sua vida. Feliz dia dos pais também.
Um grande abraço,
Zezé Lopes