21 de ago de 2008

Professores sabem escrever na internet?

Sei que a pergunta é polêmica, mas você já se perguntou se professores sabem escrever para ambientes eletrônicos? Mais especificamente a internet? Caso você nunca tenha parado para pensar nisso, existem sim diferenças estruturais no texto que é publicado em um livro, revista e em ambientes eletrônicos. Qual a diferença? Quando escrevemos para uma revista ou livro, precisamos construir o texto como um todo, não há a possibilidade de fazer referências externas sem que o leitor tenha que interromper a leitura e voltar em outro momento para continuar a ler.

On the platform, reading

Não entendeu? Permita-me exemplificar. Veja esses dois parágrafos:

A metodologia de ensino por PBL, que significa Problem Based Learning (Aprendizagem baseada na resolução de problemas), é fundamentada no ensino por meio de resolução de problemas. Os alunos encontram cenários reais, com problemas contextualizados e preparados para potencializar o aprendizado de temas reais. Nesse caso os alunos podem colocar em prática técnicas investigativas e discutir as soluções dos problemas de maneira colaborativa.

Agora a maneira de escrever o mesmo parágrafo, usando a linguagem da internet:

A metodologia de ensino por PBL consegue apresentar aos alunos a possibilidade de aprender resolvendo problemas reais. Todo o aprendizado é fundamentado na apresentação de cenários, e na resolução de problemas contextualizados.

Qual a diferença entre os dois textos? Os hyperlinks no segundo parágrafo se enquadram perfeitamente nos ambientes interativos. Um professor pode deixar de explicar um assunto no texto, fazendo referência a outro texto que explica o conteúdo. Quem não está ambientado com esse tipo de prática na construção de textos para internet, pode passar por algumas dificuldades na hora de elaborar aulas ou material didático, para meios interativos.

Seja um DVD ou uma página web, saber construir esse tipo de texto é fundamental. Já pensou um WebQuest ou orientação de aula, que não faça uso intensivo de links e recursos existentes na internet? Qualquer aula ou treinamento que faça uso de recursos eletrônicos iria demandar de muita produção de conteúdo. Se o professor ou instrutor, conhecer as ferramentas da internet e a riqueza dos hyperlinks, ele pode construir uma aula completa, apenas fazendo indicação de leitura.

Isso não é errado! Já pensou um professor criar uma aula, sem recomendar para seus alunos alguma leitura obrigatória, em livros ou revistas?

Qual a moral dessa história? Quem conhece bons textos e referências na internet, pode elaborar conteúdo para cursos a distância de maneira mais rápida. Claro que isso é válido, quando não há a necessidade do material ser original. Nesse caso, os cursos semipresenciais podem fazer melhor uso dessa metodologia, os cursos totalmente a distância.

O que levou a escrever esse artigo foi à abordagem do papa da usabilidade Jacob Nielsen, que aborda o tema nesse artigo. Ele não fala especificamente sobre educação, mas o contexto se encaixa perfeitamente!

Fica a dica, selecione seus links!

Fonte: http://www.colaborativo.org/blog/2008/06/16/professores-sabem-escrever-na-internet/

2 comentários:

José Antonio Klaes Roig disse...

Muito interessante esta questão levanta por ti, Robson. Muito similar aquela questão do vídeo Tecnologia ou Metodologia, em que temos que nos adaptar ao novo meio e não continuar fazendo as mesmas coisas noutro veículo. Bah, já me deu matéria-prima pra um post no LV, hehehehehe Abração e brigadão, migo. Zé

Sérgi F. Lima disse...

Opa Robson!

Questão muito bem lembrada!

Além das ligações com textos externos, o tamanho dos parágrafos também deve ser levado em conta da hora de se escrever em "mídias" diferentes!


abraços