20 de fev de 2009

Todo professor tem de ir aonde o aluno está

Antonio Mendes Ribeiro

Uma ecologia de aprendizado ( um ambiente em rede onde se integram o formal e o informal) hoje pode ser viabilizada com a utilização de diversas tecnologias educacionais. Alunos e professores estão se apropriando cada vez mais de ferramentas pessoais ou coletivas ( editores de texto, como o Zoho Writer), e softwares sociais ( como um blog ou uma rede social), rotuladas de web 2.0. Essa utilização se dá na maioria das vezes mais para seu divertimento ou para outros fins menos nobres. Mas de qualquer maneira esse é o espaço que eles cada vez mais estão.

Aos poucos reconhecemos que o processo de aprendizado pode ocorrer nesse tipo de ambiente, porém de numa maneira diferente do que é comum até então. Nele os alunos podem assumir o seu próprio aprendizado, exercendo a sua autonomia na resolução de problemas, em colaboração com seus pares e sendo facilitados por seu professor.

Reconhecer e assumir este fato é uma mudança difícil para muitos professores, que fazem tudo para proteger e valorizar o seu espaço ( de ensinar) e não o dos alunos (de aprender). Muitos não fazem a mínima questão de conhecer os seus alunos. Numa aula presencial, ficam por algum tempo alguns centímetros próximos, mas estão muito distantes dos mesmos. O problema não é a distância física, que não existe, é a distância pedagógica.

Parafraseando o cantor e autor Milton Nascimento, podemos dizer que os professores devem ir aonde o aluno está, diminuir as distâncias existentes, mesmo que ele esteja na lua ou no mundo da lua. No caso de ambientes com uso de tecnologias da informação, se os alunos estão resolvendo seus problemas, por exemplo, num blog, e necessitarem de informações adicionais, um conteúdo ou um auxílio do professor, estes devem ser levados onde os alunos estão (no blog). Num curso a distância convencional, na maioria das vezes, os alunos têm que sair do seu espaço de aprendizado (online ou não) e buscar recursos no espaço do professor, por exemplo, disponibilizados no Moodle.

Na música de Milton Nascimento e Fernando Brant, Bailes da Vida (clique no player abaixo para ouví-la), eles dizem que “todo o cantor tem que ir aonde o povo está”. Hoje é possível, nas aulas virtuais da vida, levar o professor onde os alunos estão. Através de pedagogias adequadas (baseadas em resolução de problemas ou projetos) e mecanismos baseados em RSS e utilizando bookmark social, os materiais e postagens de um professor podem ser agregados pelos alunos em suas redes individuais de aprendizado, criadas e organizadas por eles mesmos, de acordo com suas necessidades e possibilidades. Publicar livros ou CDs hoje não é tão efetivo como a algum tempo. Os seus autores atualmente tem que achar novos meios de comunicação ( e de sobrevivência). Os cantores estão descobrindo que têm que ir diretamente aos shows da vida, os bailes dos dias de hoje (“se foi assim, assim será”). E os professores? Vão continuar a insistir com seus bailes convencionais, que por sinal estão cada vez mais vazios e sem vida.

O uso de ferramentas

O homem necessita de ferramentas para a sua sobrevivência, para vencer suas próprias limitações. As ferramentas disponíveis na Internet devem ser possuídas e controladas pelos próprios alunos de forma individual ou coletiva. Elas permitem o processamento das diversas mídias, de forma a dar suporte a suas atividades de aprendizado. Com elas podem apresentar suas idéias ou pensamentos (num cartaz), personalizar apresentações de outros (indexando um vídeo pronto) ou organizando assuntos relevantes (num mapa mental). O trabalho em grupo ou comunidades pode ser realizado com ferramentas de cooperação (edição de um texto de forma coletiva), facilitando e consolidando o relacionamento entre os alunos na resolução de um problema comum. Com isso é possível criar esquemas compartilhados de referência para os alunos que trabalham em conjunto num contexto comum.

O papel do software social

Um software social ( blog, wiki, rede social) permite que as pessoas tenham acesso mútuo, favorecem a co-criação e o intercâmbio de conhecimentos. Nesses ambientes as pessoas compartilham um contexto comum, uma missão ou um propósito a ser alcançado. Para que o ambiente seja efetivo no alcance dos objetivos desejados há necessidade de uma participação efetiva dos envolvidos: todos tem que se sentir parte do mesmo, assumir a sua identidade própria, e por outro lado, ter um senso do coletivo. Isso pode ser alcançado na medida em que os próprios alunos assumam como sua a responsabilidade da criação e sustentação desse espaço, criando um contexto a ser compartilhado, que deve ser uma prática: o seu trabalho de resolução de um problema. Num sistema de gerência de aprendizado, com seus mecanismos mais formais, mais voltados para a administração de um curso, sob a responsabilidade de um professor, é possível criar grupos de pessoas para agir em comum e que compartilham um contexto. O problema que esse contexto será o próprio curso, criado com a visão do professor, mais voltado para o processo de ensinar e acompanhar a ação dos alunos.

Na medida em que se quer facilitar e reforçar as relações de aprendizado entre os alunos de um mesmo curso, a utilização de softwares sociais é essencial. Os alunos nesses ambientes, observando o trabalho individual de colegas e especialistas, têm uma base mais apropriada e rica para se envolver nas discussões ou trabalhos a realizar. Além de colocar pessoalmente suas idéias e favorecer discussões abertas com amigos ou colegas (no seu próprio blog), podem criar novos conhecimentos numa rede de compartilhamento voltada para um assunto de seu interesse ( mediada por um especialista numa rede social) ou ainda organizarem e consolidarem de forma coletiva os conhecimentos adquiridos ( criando um wiki somente para este fim)

Para a efetivação do uso das ferramentas e softwares sociais numa ecologia de aprendizado temos várias barreiras a vencer e questões a responder, como por exemplo:

Como convencer os professores da necessidade de que eles devem ir onde seus alunos estão e como ajudá-los a encontrar os caminhos para que consigam chegar lá?

O professor existente no mundo de hoje conseguirá mudar sua postura em função da realidade existente ou devemos começar a pensar na capacitação de um novo professor?

Como um professor deve agir e se colocar para que os alunos não se percam no uso dos recursos disponíveis na Internet?

As tecnologias educacionais existentes atualmente auxiliam de forma efetiva a um professor agir no contexto e nas necessidades atuais dos seus alunos ou ainda necessitam de uma maior evolução?

Onde os alunos das escolas brasileiras estão? Eles caminharão de forma inexorável para o mundo da Internet?

Ajude-nos a imaginar e criar os novos bailes da vida escolar de um aluno no mundo de hoje. Um espaço próprio dos alunos onde os professores irão para facilitar o aprendizado dos mesmos, como os cantores da música de Milton Nascimento. Ouça essa a música clicando no player abaixo, ainda sem ter necessidade de ir a um show do cantor.


Fonte: http://www.peabirus.com.br/redes/form/post?topico_id=13393#cPost

Nenhum comentário: