17 de jul de 2008

Olhar à frente

Tereza Porto

Nas duas últimas semanas, a Educação do Estado do Rio esteve na berlinda, com a divulgação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) pelo MEC. Os dados não foram favoráveis para nós. Saber o que está por trás desses índices, descobrir por que o Rio apresenta resultados gerais tão distantes de nossas expectativas é, com certeza, necessário. Mas, em vez de buscarmos as respostas no passado, prendendo-nos ao que herdamos de administrações anteriores, estamos nos propondo a olhar para frente.

A Secretaria de Educação do Estado do Rio está criando todas as condições para que as 1.591 escolas que compõem sua rede de ensino, marquem um encontro com elas mesmas, se (re)conheçam. A partir do nosso Programa de Gestão Escolar – resposta do Estado do Rio ao Programa de Desenvolvimento da Educação (PDE) do MEC –, os diretores das escolas, seus adjuntos e os coordenadores pedagógicos, que somam 5.330 profissionais, serão capacitados por orientadores de gestão, para fazer, com a comunidade escolar, um diagnóstico de suas escolas, e traçar um plano de ação a ser concretizado com apoio financeiro, pedagógico e logístico da Secretaria. Esse diagnóstico incluirá também o índice de desempenho dos alunos, por meio de um programa de avaliação interna, por escola, com base em competências e habilidades, como propõe o MEC, e que terá início em agosto. O programa toma os professores como agentes da avaliação de seus alunos.

De posse desses dados, será possível olhar para a Rede Estadual de Ensino de outra maneira. Sejam bons ou ruins os resultados que encontrarmos, esse diagnóstico será um guia para nossas ações.

Estamos investindo também na formação continuada de nossos professores. Entre outras iniciativas, vamos potencializar o uso dos 35 mil notebooks distribuídos ao corpo docente, promovendo uma atualização em serviço a distância desses profissionais, a partir de agosto, com material desenvolvido pelo MEC.

É certo que diagnosticar e tratar do pedagógico não será suficiente se não tomarmos medidas relativas à infra-estrutura, visando ao conforto e ao bem estar de professores e alunos. Já estamos encaminhando a reforma de 143 prédios escolares. Até o fim do ano, todas as escolas do estado contarão com banda larga para conexão à internet. Pretendemos resolver, finalmente, o problema das escolas estaduais que funcionam em prédios compartilhados com o município, com a aquisição de prédios próprios – 28 estão em negociação para compra. Convocamos 8 mil novos professores que já estão nas salas de aula, e outros 2.200 estão prestes a entrar. Está em curso também a atualização da estrutura de dados da Secretaria, com nova organização das informações relativas à Educação fluminense.

Muito mais do que anunciar o que estamos levando à frente, a idéia é compartilhar com toda a sociedade essas iniciativas, para atuarmos juntos em prol da educação estadual e de nossos alunos. Fazer da Educação uma política de estado, não de governo, é um compromisso de todos.

Tereza Porto é secretária de Estado de Educação do Rio de Janeiro.

Fonte: http://www.educacao.rj.gov.br/index5.aspx?tipo=categ&idcategoria=447&idItem=2847&idsecao=13

Um comentário:

José Antonio Klaes Roig disse...

Oi, Robson, te indiquei pra uma brincadeira da rede de amigos e o dia do amigo, que me passaram e estou repassando aos amigos virtuais que tenham blog. Se naum puder aderiri, tudo tranquilo. Feliz dia do amigo, 20/7. Um abração, do amigo de sempre, Zé.