29 de mar de 2008

As tecnologias na sala de aula


  • No auditório do Colégio Dante Alighieri, uma das escolas particulares mais tradicionais de São Paulo, próximo à Avenida Paulista, cerca de 60 alunos do 6º ano aguardam ansiosamente que a ligação pelo Skype seja atendida.Cercados por câmeras de vídeo, eles se reconhecem no telão. Assim que a ligação é atendida e os personagens do outro lado aparecem, a criançada vai ao delírio, levanta os braços e se agita ao som de gritos disciplinados. Por meio de webconferência, os alunos conversaram ao vivo com cientistas brasileiros da Estação Comandante Ferraz, na Antártida.A média de idade dos alunos era de dez anos. Ao perguntarmos quem já conhecia a ferramenta usada naquele dia – o Skype, que faz ligações pela internet gratuitas ou bem mais baratas do que uma chamada telefônica normal – a grande maioria levantou as mãos. O Dante é um colégio de classe média alta e seus alunos costumam ter acesso a computador e à banda larga em casa.O assunto abordado durante a webconferência já havia sido dado em sala de aula, e os pequenos tinham preparado perguntas para os cientistas. “Essa é uma aula que gera conhecimento ímpar”, diz a coordenadora do departamento de tecnologia educacional, Valdenice Cerqueira. “Já usamos o Skype como ferramenta de comunicação interna, entre os professores, mas é a primeira vez que a aplicamos de forma educacional”. Sucesso com a experiência? “Foi maravilhosa”, diz. (Fonte: Estadão)
Tecnologia na sala de aula... Como usar? Essa é a grande questão de dez entre dez educadores. E faz sentido, já que na maioria esmagadora dos casos, o educador é colocado em contato com computadores e internet sem que a ele sejam dados elementos para compreender e utilizar de forma adequada essas ferramentas em sala de aula. E isso faz uma enorme diferença entre o uso adequado e inadequado desses elementos na educação.

Por exemplo, trabalhei em uma instituição de ensino superior que têm ótimos laboratórios de informática, ligados a internet por banda larga e que disponibiliza equipamentos multimídia em sala de aula para todos os professores. Entre os educadores prevalece o uso de apresentações em powerpoint, sem o uso das possibilidades de interação da rede mundial de computadores (como o acesso a mapas, a conexão por skype ou msn com outros especialistas, a disponibilização de vídeos ou áudios para as classes,...).

Entre os alunos, nos laboratórios de ponta, os acessos principais são ao Orkut, a sites de esporte ou humor, o uso do MSN para conversas fúteis e de trabalho prático educacional apenas pesquisas que resultam no velho expediente do copiar e colar, sem reflexão, aprofundamento, engajamento por parte dos estudantes...

Atividades diferenciadas surgem, felizmente, todos os dias. A criatividade dos professores e o interesse marcante dos alunos pela tecnologia estão compelindo as escolas a caminhar, sem volta para a adoção em larga escala, das tecnologias de informação e comunicação em sala de aula. O exemplo do Dante Alighieri apresentado acima é importante para mostrar que é possível integrar os computadores e a internet ao cotidiano educacional com inteligência pedagógica. Que essa e outras histórias de sucesso iluminem os caminhos e orientem um futuro mais e mais promissor para a educação do Brasil...

Por João Luís Almeida Machado

Nenhum comentário: