4 de out de 2007

O manual da etiqueta digital

Você já andou de elevador ouvindo um passageiro falando ao celular? Já desceu do 30º ao 1º andar ao lado de um tipo que fala bem alto ao telefone? Que não se dá conta de que a exposição da própria privacidade vai deixando as pessoas ao redor constrangidas? E o que dizer dos mais estapafúrdios toques de celular em plena sessão de cinema, no teatro, no meio de um concerto?

Tem gente que atende celular no banheiro público do aeroporto e entabula conversa quando ainda está fazendo pipi. A questão é: as novas ferramentas digitais do cotidiano trazem consigo uma nova etiqueta.

Temos de aprender logo certas regrinhas, caso contrário a vida social se torna um fardo insuportável. No caso do e-mail, também temos de fazer um esforço maior para que o uso dessa ferramenta se torne mais elegante, social e civilizado - não apenas dentro das empresas, mas também em nossa vida privada cotidiana. Quer ver algumas situações de uso inadequado de e-mail?

Você certamente tem algum amigo do tipo "encaminhador enlouquecido". É aquele que ama enviar cópias dos e-mails que ele recebeu de outras pessoas. Em geral, são mensagens com anexos que contêm poemas, apresentações, piadas etc. Quase nunca esse amigo adiciona à mensagem que encaminhou para você uma linha pessoal, algo como "lembrei de você quando li isso". Alguém precisa dizer a ele que existem poucas coisas mais chatas e tediosas que receber mensagens impessoais com material que se propaga como vírus na internet. Evite ao máximo encaminhar qualquer coisa. Quando o fizer, torne sua mensagem pessoal.

"É melhor aprender logo as novas regras. Caso contrário, você pode virar um "e-mala"

Outra ocorrência desagradável é receber e-mails de um amigo promotor social. Os e-mails vêm com uma lista enorme de destinatários, amigos e colegas dele. Estão lá conhecidos de infância, ex-namoradas, inimigos, chatos. E a maior parte dessas pessoas você nem mesmo conhece. Copiadores ensandecidos também são um problema. Eles adoram o "cc:"; quase todos os e-mails que enviam vêm com cópia para mais alguém. Na empresa, eles pretendem manter informados simultaneamente o diretor e o gerente, o estagiário e o chefe - sem esquecer colegas de outras filiais e fornecedores.

Mais uma regra: nunca escreva o campo "assunto" todo em maiúsculas, para chamar a atenção para seu e-mail. Assim como falar alto dentro do cinema ou furar fila, isso é considerado falta de educação no manual da etiqueta digital. Outra lei de ouro está no tamanho do e-mail. Os ótimos vêm na forma de um parágrafo com até meia dúzia de linhas. Os extensos porém ainda aceitáveis, para tratar de assuntos importantes, têm até três parágrafos. Textos maiores que isso costumam aborrecer mais que informar.

Ao enviar qualquer anexo, tenha certeza de que o destinatário tem absoluto interesse em receber o material. De preferência, consulte-o antes de enviar. E, claro, tenha cuidado também com o tamanho do arquivo. Nunca parta do pressuposto de que um e-mail importante foi recebido - e lido. A mensagem pode ter sido equivocadamente bloqueada pelos filtros do administrador do sistema da empresa ou do provedor da pessoa para quem você enviou. Aprenda a usar e-mail com sinalizador que pede ao destinatário que indique se o mesmo foi lido. Se a pessoa for atenciosa e cortês, sinalizará quando abrir e ler sua mensagem.

Para assuntos superimportantes, não mande e-mail. Telefone. É bom aprender rápido a nova etiqueta do mundo digital. Caso contrário, seu endereço de e-mail pode entrar na lista daqueles a serem barrados por filtros anti-spam. Ou você pode acabar descobrindo que falam pelas suas costas que você é um "e-mala".

Por Ricardo Neves

Fonte: http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EDG76190-6077-0,00.html

Nenhum comentário: